Add Your Blog | | Signup
O meu livro de poemas · 1W ago

(do que se escuta)

"Ela é uma santa Maria na rua e uma porca em casa"
O meu livro de poemas · 2W ago

1840 (das palavras) - Joguete de cartas sem clarinete

Joguete de cartas sem clarinete-Tu ficas com estas,-Não vale fazer batota!-Eu fico com estas,  - Quem é a primeira a jogar? és tu? sou eu?- Eu posso começar- Então vá! pronta?- Sim- Colete- ...
O meu livro de poemas · 2W ago

1839 (Do espanto) - E ao fim de tantos anos aqui tens de novo um coração

E ao fim de tantos anos aqui tensde novo um coração   Lembras-te aindado que lias no Hurst.  duas aurículase dois ventrículos.      as válvulasa mitral a tricúspide.   os desenhostão nítidos...
O meu livro de poemas · 3W ago

1838 (do espanto) - Romance de Cnossos

Romance de CnossosEste canto rouco roucodas cigarras de CnossosOuvi-o logo no portodepois nos caminhos tortosque sobem do porto ao pontoonde ressurge CnossosMais tarde à beira de um poçoPor ...
O meu livro de poemas · 3W ago

1837 (do espanto de existir) - Outro Ulisses regressa a casa

Outro Ulisses regressa a casaCidades que nunca atravessei, nomes que ressoam da infância,Samarcanda, Trebizonda, cidades que nunca vi,promessas por cumprir de um atlas folheado na infância, ...
O meu livro de poemas · 3W ago

1836 (do amor) - Pela luz dos olhos teus

Pela luz dos olhos teusQuando a luz dos olhos meusE a luz dos olhos teusResolvem se encontrarAi que bom que isso é meu DeusQue frio que me dá o encontro desse olharMas se a luz dos olhos teu...
O meu livro de poemas · 1M ago

1835 - (do espanto de viver) Cinco lembretes

Cinco lembretesPôr o Pólo Norte a descongelar.Inventar uma máquina de fazer amanheceres.Segurar o fio resplandecente da beleza, seja isso o que for.Pintar de azul o Mar Vermelho (e de vermel...
O meu livro de poemas · 1M ago

1834 (da palavra) - Como dizer poesia?

COMO DIZER POESIA Tomemos a palavra borboleta. Para usar esta palavra não é preciso fazer com que a voz pese menos de um grama nem dotá-la de asinhas poeirentas. Não é preciso inventar um di...
O meu livro de poemas · 1M ago

1833 (do espanto de viver) - Father and son

[Father] It's not time to make a change Just relax, take it easy You're still young, that's your fault There's so much you have to know Find a girl, settle down If you want you can marry Loo...
O meu livro de poemas · 2M ago

1832 - (do que somos feitos) - Aqui estou eu

"Aqui estou euMestiço de negro e brancoSevero e brandoObstinado e ociosoModesto e orgulhosoObsessivo e serenoManso e prudenteAgradável e egocêntricoTalvez a lei dos contráriosImpere em mimOu...