Add Your Blog | | Signup
O meu livro de poemas · 2W ago

1845 (do abjeto) - Ese General

Ese General-Aquí está el general. ¿Qué quiere el general? -Una espada desea el general. -Ya no existen espadas, general. ¿Qué quiere el general? -Un caballo desea el general. -Ya no existen ...
O meu livro de poemas · 2W ago

1844 - (dos livros) - Um livro

Um livroLevou-me um livro em viagemnão sei por onde é que andeiCorri o Alasca, o desertoandei com o sultão no Brunei?P’ra falar verdade, não seiCom um livro cruzei o mar,não sei com quem nav...
O meu livro de poemas · 3W ago

1843 (da condição humana) - Blackbird

BlackbirdBlackbird singing in the dead of nightTake these broken wings and learn to flyAll your lifeYou were only waiting for this moment to arise.Blackbird singing in the dead of nightTake ...
O meu livro de poemas · 3W ago

1842 (da perplexidade) - Because

BecuaseBecause the world is round it turns me onBecause the world is round, ahBecause the wind is high it blows my mindBecause the wind is high, ahLove is old, love is newLove is all, love i...
O meu livro de poemas · 1M ago

(do que se escuta)

"Ela é uma santa Maria na rua e uma porca em casa"
O meu livro de poemas · 1M ago

1840 (das palavras) - Joguete de cartas sem clarinete

Joguete de cartas sem clarinete-Tu ficas com estas,-Não vale fazer batota!-Eu fico com estas,  - Quem é a primeira a jogar? és tu? sou eu?- Eu posso começar- Então vá! pronta?- Sim- Colete- ...
O meu livro de poemas · 1M ago

1839 (Do espanto) - E ao fim de tantos anos aqui tens de novo um coração

E ao fim de tantos anos aqui tensde novo um coração   Lembras-te aindado que lias no Hurst.  duas aurículase dois ventrículos.      as válvulasa mitral a tricúspide.   os desenhostão nítidos...
O meu livro de poemas · 1M ago

1838 (do espanto) - Romance de Cnossos

Romance de CnossosEste canto rouco roucodas cigarras de CnossosOuvi-o logo no portodepois nos caminhos tortosque sobem do porto ao pontoonde ressurge CnossosMais tarde à beira de um poçoPor ...
O meu livro de poemas · 1M ago

1837 (do espanto de existir) - Outro Ulisses regressa a casa

Outro Ulisses regressa a casaCidades que nunca atravessei, nomes que ressoam da infância,Samarcanda, Trebizonda, cidades que nunca vi,promessas por cumprir de um atlas folheado na infância, ...
O meu livro de poemas · 1M ago

1836 (do amor) - Pela luz dos olhos teus

Pela luz dos olhos teusQuando a luz dos olhos meusE a luz dos olhos teusResolvem se encontrarAi que bom que isso é meu DeusQue frio que me dá o encontro desse olharMas se a luz dos olhos teu...