Add Your Blog | | Signup
ORVALHOS POESIA · 1d ago

tudo porque é hoje...

cansei das horas iguaisdos mesmos sonhos desfeitosrepetidos, do morrer dos dias,lentamente, das tardes friase as minhas mãos na minha frenteparadas indiferentes, apoiadosos cotovelos, pálido...
ORVALHOS POESIA · 4d ago

sou...

sou feita de velhos dias, sem brilhoturvam-se já meus olhos de tristezaum sopro de inspiração, é meu trilhosou água a tocar no fundo, incerteza!sou aquilo que escrevo e pouco maissou a que f...
ORVALHOS POESIA · 1W ago

murmúrios de meus dedos...

que me importa se mais não sei?sonho é saída para a obscuridadenum barco de palavras eu rumeiinquietações e caminho de saudadeque importa quem a mim se afeiçoouforam tantos sentimentos d'ins...
ORVALHOS POESIA · 2W ago

debruando a solidão...

teus olhos me olham com espantocomo quem me espia,como se olhasses um retrato esmaecidoesse olhar que me queria tantoe trazia meu corpo estremecido.mas, meu rosto já não é mais poesiaé estre...
ORVALHOS POESIA · 2W ago

tempestade em mim...

hoje meus gestos são lentosas palavras sem falarsou como árvore nua com os braços a chorarde frio, neste silêncio... silêncioe lá se foi minha alegria, bateu-me à porta amelancolia...como é ...
ORVALHOS POESIA · 3W ago

suspendo-me nos silêncios...

nesta atmosfera tão sombria do entardeceragita-se a folhagem batendo-me no rostoé o vento querendo-me dizerda profundidade da saudadeque me fere o coração.as folhas agitadas, balouçadascom o...
ORVALHOS POESIA · 3W ago

a noite a desenhar-se...

nesta atmosfera tão sombria do entardeceragita-se a folhagem batendo-me no rostoé o vento querendo-me dizerda profundidade da saudadeque me fere o coração.as folhas agitadas, balouçadascomo ...
ORVALHOS POESIA · 3W ago

madrugada fria...

as cortinas corridas, os estores corridossoa-me o bater de asas aos ouvidoscom a chávena do café em frentepenso que talvez a morte que temome seja agora indiferentea luz não entra, doem-me o...
ORVALHOS POESIA · 1M ago

estremecem as madrugadas...

as tuas mãos são aves do paraísoque voam na paisagem do meu corpopercorrem os trilhos sem juízoaté às portas da madrugadae o tempo é terno enquanto caminhasressuscitando a minha vontadedos t...
ORVALHOS POESIA · 1M ago

a pingar melancolia...

quando me encosto à solidãoninguém me pergunte nadaque irei permanecer vaziade memória esfareladacom pedaços de noite e ideias cegasde nostalgiana mão a folha do poema prontaa boca de palavr...